Adeus

Ao despertar do sábado
bem ao meu lado vi tristeza
brotando do chão
de onde brotava pureza
só restam espinhos pro meu coração

quem arrancava de mim um sorriso
esqueceu-se de amanhecer
agora arrancou de mim o juízo
não consigo parar de sofrer.

já tentei aprender a ser forte
diante da dor da partida
nada me abala como a morte
ainda mais sem despedida.

“Acontecimentos são seres covardes”
(Neil Gaiman)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s