poema interrompido

Pensei num pequeno poema.
O primeiro verso era tão cafona;
o segundo, rimava sela e cela; apaguei.
Veja que dilema: Um coito interrompido;
um aborto para o coração.

Lembrei do pequeno poema.
Como conviver com a angústia, dessa punheta emancipada?
Como começar por outros versos, se esses estão perdidos,
como antes de chegar ao recinto,
uma cueca borrada?

Anúncios

Um pensamento sobre “poema interrompido

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s