ato falho

Corte suas asas agora
corte sua fala agora
corte seu cabelo agora.

Sou um ato falho
Errando antes de tentar
um piano, veja que som lindo
ouviria,
se não tivesse que carregar
será que depende de nós
viver a própria vida?

Anjo caído, letras borradas de café
poeta maldito, conselheiro da ralé
o passado sem futuro, olhar perdido
de quem quer e ainda não deu no pé

não quero sua voz baixa
seu conselho, não quero
sua vida, seu piano, não
carrego mais o peso do seu
consciente, do sub, submundo
minha ralé, pois não quero
nem mesmo mais um gole de café.

Anúncios

2 pensamentos sobre “ato falho

  1. revolts?
    Parte q + gostei: “Anjo caído, letras borradas de café
    poeta maldito, conselheiro da ralé
    o passado sem futuro, olhar perdido
    de quem quer e ainda não deu no pé”

    Dá no pé que passa,fi. 😉

  2. Da autora (Op.cit.p.31), vale também destacar algumas afirmações importantes: “O ridículo era a matéria prima da revista. (…) Sua decadência veio nos anos 1960”. E ainda, quando Veneziano (Op. cit, p.29) cita Roberto Ruiz, ao dizer que nos palcos brasileiros [século XIX] falava-se à portuguesa: “Falavam à lusitana, João Caetano, Francisco Vasques, Procópio Ferreira, Leopoldo Fróes e Dulcina de Morais”.Sem dúvida, um dos marcos do teatro brasileiro foi a apresentação do grupo – Os Comediantes – da peça Vestido de Noiva de Nelson Rodrigues, em 1943, encenada por Ziembinski. Mas, segundo Prado (Op. cit, p.43):A consolidação do que poderíamos chamar de novo profissionalismo veio em 1948, com a criação do Teatro Brasileiro de Comédias, que além de ter um caráter empresarial, tinha como repertório, clássicos universais – antigos ou modernos, alternando com peças de apelo popular. Nos seus 15 anos de existência o TBC deslocou a iniciativa teatral para São Paulo. (…) Como os teatros, em comparação com os amplos edifícios do começo do século, haviam encolhido, os atores desobrigados de projetar a voz à longa distancia, podiam dar-se ao luxo de desempenhos mais sóbrios. A dicção não caia naquele martelamento silábico não incomum na velha geração.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s