as horas

no meio do nada a última garrafa
milagrosamente secou
até a mosca que rondava seu ouvido
finalmente se cansou
e você descansa de tanto pensar
abraçando o silêncio absoluto
como a lua abraça o escuro da noite
as horas nunca vão lhe guiar

e você disserta pra si mesmo
em redundantes acordos verbais
se perguntando se aquilo mesmo
que sentia era mais que amor
ou uma viagem que se interrompeu
como um acidente, um corpo caindo
a dúvida é uma corda invisível
as horas nunca vão lhe guiar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s